La Torre dello Ziro

Este é um caminho fácil e agradável que vai até um dos lugares símbolo da história conturbada de Amalfi: as paredes de proteção do Granducato di Amalfi e a Torre dello Ziro, uma das várias torres ao longo da Costa Amalfitana, na Itália, usadas para vigilar o mar e evitar o ataque dos navios sarracenos.

Vale a pena saber antes de partir:
Ponto de partida: Pontone.
Ponto de chegada: Atrani.
Duração: 2-3 horas
Quilômetros: 4-5 km.
Grau de dificuldade: fácil.

Como chegar na Torre dello Ziro

Este itinerário da Costa Amalfitana, assim como aquele do Valle dell Ferriere, parte de Pontone, uma pequena cidadezinha que faz parte de Scala, onde você chega seja com os ônibus que partem de Amalfi, como a pé vindo de Ravello através de uma rápida trilha.

Da praça da cidade você pega a escadaria de Via Fritto, então continue pela rua e após aproximadamente dez minutos você encontrará a sua esquerda uma outra escadaria que leva até Atrani.
Continue em frente subindo diversas escadarias e então vire à esquerda seguindo as placas para a "Torre".

Depois de caminhar um pouco você chegará na base da escadaria de acesso a Fortaleza que antigamente fazia parte das paredes de proteção do Gran Ducato d'Amalfi.

Estamos na metade do caminho entre as cidades italianas de Ravello e Amalfi: olhando para cima você poderá admirar Villa Cimbrone, enquanto lá embaixo está o vallone del Torrente Dragone.

Um pinheiro por onde passam diversas trilhas, encontra-se nos arredores da Torre. Após a visita até a Torre você pode continuar o passeio descendo a escadaria que vai de Pontone até o centro de Atrani.

A história da Torre

Os habitantes do local, especialmente os mais velhos, não gostam muito de vir para esses lados: isso porque a Torre não é simplesmente uma das várias torres construídas para defesa contra os ataques dos Sarracenos mas foi palco de um dos episódios mais sanguinários da história de Amalfi.

Aqui no início do século XVI, Giovanna D'Aragona, conhecida como a Louca, foi presa junto com os seus filhos.
A sua culpa foi ter feito amizade com o mordomo da corte após ficar viúva de Alfonso Piccolomini, duque de Amalfi, homem corrupto e libertino com quem tinha se casado quando tinha apenas 12 anos.

A relação na época criou um grande escândalo, por isso os irmãos decidiram prender Giovanna e os seus filhos, ainda crianças, na torre onde depois os trucidaram.

Não surpreende, portanto, que as lendas populares da Itália considerem a Torre como um lugar povoado por fantasmas da onde é melhor manter distância.