Ravello

Como chegar em Ravello

Ravello, diferentemente da maioria dos vilarejos da Costa Amalfitana, na Itália, não fica à beira mar: para chegar é necessário sair da estrada Statale 163 entre Amalfi e Minori e subir alguns quilômetros.
É possível chegar em Ravello também descendo pelo Valico di Chiunzi (que você pega na saída da A3 em Angri).
É acessível também com os ônibus da companhia Sita que partem de Amalfi.

Para mais informações: Como chegar na Costa Amalfitana

Um terraço para o infinito

A beleza está presente por toda parte em Ravello, assim como o amor pela arte e pela música.
Só nos últimos dois séculos, passaram por aqui nomes ilustres no campo musical como Wagner, Grieg, Rostropovich, Toscanini, Bernstein; no campo da pintura, Escher, Turner, Mirò; sem falar nos grandes escritores como D.H Lawrence, Forster e Virginia Wolf.

Não é por acaso que hoje, este charmoso burgo da Costa Amalfitana, Itália, é cenário de grandes eventos culturais como o Ravello Festival e os concertos de música clássica organizados pela Ravello Concert Society.

Os lugares com a vista mais bonita de Ravello:
O mirante Principessa di Piemonte.
O terraço infinito da Villa Cimbrone.
Os terraços da Villa Rufolo.


A história

De linhagem nobre, encantadora de pessoas, Ravello espera os viajantes que partem dos burgos marítimos da Costa Amalfitana em direção ao alto, lá do seu pedaço de rocha a 350 metros sobre o nível do mar.

Após um provável primeiro assentamento de colonos romanos fugindo das invasões bárbaras, fontes históricas relatam a presença no século IX de algumas famílias sobres de Amalfi, que tinham se revoltado contra as audoridades do doge.

Ravello prosperou rapidamente graças a atividade de fiação da lã conhecida como "Celendra" e no século XI tentou romper os laços com a República Marítima de Amalfi nominando um próprio duque.

O seu declínio começou com a conquista normanda e sucessivamente, Ravello que tinha cerca 36.000 habitantes em 1200, começou a perder cada vez mais população e no início do século XIX foi unificada a diocese de Amalfi.

Este declínio, no entanto, não atingiu a sua beleza. Ao contrário: a transformou em uma meta dos sonhos para intelectuais, artistas, personagens famosos que se apaixonavam por esse charmoso burgo da Costa Amalfitana.

As estrelas apaixonadas por Ravello:
Greta Garbo
D.H.Lawrence
Richard Wagner
Winston Churchill
Virginia Woolf


A catedral de Ravello

A catedral aparece imponente na Piazza del Vescovado e recebe os viajantes com uma maravilhosa porta com relevo em bronze que foi realizada em 1179 em Constantinopla e depois transportada via mar até este burgo da Costa Amalfitana.

Uma maravilha de Barisano da Trani, que atravessou o mar para homenagear Ravello, transformada em sede episcopal em 1086 quando o primeiro bispo Orso papirio mandou construir o edifício.

O auditório de Oscar Niemeyer na Itália

Ravello se destaca como um lugar dedicado a cultura, como uma ponte entre passado e futuro graças a presença do Auditorium criado por um dos personagens mais importantes da arquitetura internacional: o brasileiro Oscar Niemeyer.
Uma construção na Itália imponente e ao mesmo tempo leve, parecida com uma folha de papel em branco colocada sobre a colina e inflada pelo vento, com uma sala de 400 lugares dedicada a concertos e eventos artísticos na Costa Amalfitana.


Villa Rufolo

A torre de frente para a piazza del Vescovado, no passado servia como mirante para a Villa Rufolo, um dos tesouros da arte que ajudaram a propagar o nome de Ravello e da Costa Amalfitana no mundo.

A villa foi construída na segunda metade do século XIII, pela importante família Rufolo e uma das características importantes da sua arquitetura é a mistura do estilo árabe que se destaca nas duas torres, com linhas árabes-normandas, e claustro mouro com seus arcos agudos e uma ordem dupla de galerias.

O edifício possui três andares absolutamente fascinantes, com seu ápice no jardim e no terraço sobre o mar onde acontece o festival wagneriano.
Wagner esteve aqui em 1880 como membro do Parsifal e ficou totalmente encantado com a beleza do lugar tanto é que escreveu: "O jardim encantado de Klingsor foi encontrado".

Villa Cimbrone

A paixão por Ravelo e a fantástica paisagem natural da Costa Amalfitana e da Itália: essa é a origem da Villa Cimbrone, obra visionária do lord inglês William Beckett que em 1904 comprou o terreno onde existia uma antiga casa abandonada e a transformou em um lugar maravilhoso com uma mistura de estilos e épocas diversas, restos arqueológicos e lembranças de viagem.

O verdejante jardim possui, além das raras espécies de plantas, também estátuas, fontes e pequenos templos, grutas artificiais criadas seguindo o estilo antigo.
Os caminhos que cortam o jardim levam até o Mirante onde encontra-se o Terraço do Infinito. Difícil encontrar um nome melhor para a emoção que você vai sentir.

Outros lugares e monumentos para visitar em Ravello:
Museu do Coral.
Igreja de San Giovanni del Toro.
Igreja de Santa Maria a Gradillo.
Igreja de San Francesco.

Onde comer

  • Cozinha tradicional: Locanda Moresca, um ótimo restaurantinho elegante e moderno em uma charmosa praça de Ravello
  • Cozinha gourmet: Rossellinis (dentro do hotel Palazzo Avino), estrela Michelin e um terraço vista para o mar entre os mais românticos da Costa Amalfitana.